sábado, maio 27, 2006

Leituras



"Livros bombardearam-lhe os ombros, os braços, o rosto virado para cima. Um livro pegou fogo, quase obedientemente, como um pombo branco, nas suas mãos, com as asas a bater. Na luz fraca e trémula, uma página ficou aberta e era como uma pena branca de neve, as palavras delicadamente pintadas. Com a pressa e o ardor, Montag teve apenas um instante para ler uma linha, mas ela ardeu no seu espírito no momento seguinte como se lá batesse com aço ígneo. «O tempo adormeceu ao sol da tarde.» Deixou cair o livro. Imediatamente, outro caiu-lhe nos braços."

Ray Bradbury, Fahrenheit 451, Mem Martins, Publicações Europa-América, 2002, página 46.

3 comentários:

Anónimo disse...

Linkado:)
(maria.c
imbricacoes.blogs.sapo.pt)

Lótus disse...

Vais ser linkado, sim.. mas quando eu tiver tempo para entrar nos meus blogs.. sorry.. para já ficas nos meus favoritos q é bem mais rápido ;)

Há quem consiga tecer sonhos rendilhados de puro cristal com as palavras ... fiquei com pena de não ler mais :(

bjs**

Patrícia disse...

... some of them want to be abused... (é algo de que sempre me acusaram)

os primeiros álbuns de Marilyn Manson povoaram a minha adolescência e algumas músicas ficaram para sempre na banda sonora da minha vida.

"I put a spell on you" (outra cover) é uma das minhas preferidas. :) Eu e a magia... ;)